Home

Árvore de Consciência

Harmonizamos

O meu Menu

login

Quem está em linha

Temos 19 visitantes em linha

Subscrever newletters



A Ciência e a compreensão do sentir intuitivo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

intuio

 

"Não existe nenhum caminho lógico para a descoberta das leis do Universo - o único caminho é a intuição"

Albert Einstein

 

Nenhuma descoberta notável, nenhum "insight", nenhum produto da criatividade, ocorre exclusivamente como resultado de actividade mental objectiva.

 

Ideias novas provêm da intuição, sem a qual a informação que reunimos por observação casual seria um somatório de factos sem sentido.

 

A intuição e a razão associam essas observações eventuais numa relação significativa, num sistema ordenado.

 

Compreender e sentir são inseparáveis - Albert Camus

 

Segundo Jung, a intuição é “uma percepção por vias ou meios inconscientes”.


A intuição é o acto de ver, perceber, discernir, pressentir. Intuindo, o pensamento apresenta-se sob a forma de uma imagem perceptiva, por um símbolo, sem interferência mental - uma contemplação pela qual se atinge a verdade por meio não racional.


A não racionalidade, atribuída à intuição, representa a sua característica essencial e refere-se ao insight ou, ainda, à percepção de alguma coisa estranha, não notada nas outras vezes em que se observou o mesmo objecto ou fenómeno. Esta percepção, ao ser trabalhada racionalmente, poderá vir a assumir a forma de uma conjectura ou hipótese. No entanto, mesmo antes disso, já estamos perante algo que se pode considerar como uma verdade provisória que apenas aguarda confirmação racional.


Assim, a ciência experimental começa pela intuição. Pode parecer anti-científico, mas a intuição como ciência é uma realidade que não é  reconhecida por preconceito apenas, mas se percebermos como ela é uma constante na vida, o cenário é bem diferente.


A intuição trata de uma verdade apenas pela realidade como ela se apresenta. Este tipo de conhecimento só pode ser conseguido se existir uma visão holística do problema - uma associação como um todo complexo. 

 

Símbolos intuitivos podem revelar a essência de verdades imperceptíveis, que não são compreendidas apenas pelo intelecto. Esses símbolos, imagens pictóricas podem decifrar paradoxos e, da desordem, criar ordem. Em clarões de compreensão, proporcionam conhecimento que integram fragmentos dispersos, desiguais, numa visão unitária, mas porque a intuição analisa todas as partes do todo, isso é possível.


A experimentação e a observação empírica são métodos para posterior verificação ou comprovação dessas ideias, já reveladas pela intuição, pois e segundo Nietzsche a relação com a ciência assenta no seguinte pressuposto – “Não têm real interesse por uma ciência aqueles que começam a se entusiasmar por ela somente depois que nela fazem descoberta”.


Assim, a hipótese é comprovada pela experiência no mundo objectivo. É necessário pois retornar ao estado objectivo de concentração, para verificar a validade do símbolo intuitivo. Um descentramento centrado. O desconstruir racional para a edificação reunida, clarificada, verdadeira e… intuitiva.

 

Quantas teorias científicas não surgiram a partir de um "impulso intuitivo"?


Quantas certezas são "certezas sentidas" antes de comprovadas? Provar o sentir ... provar a verdade?


A verdade, essa surge tão clara, que não deixa sombra para a existência da dúvida nem para o acaso...a verdade surge cheia de luz sem espaço para planos de penumbra.


O sentir é a prova da verdade.


O sentir comprova a percepção e é a teoria provada para a compreensão, se for um sentir consciente, isento de ilusão.


Provar o sentir? Experienciar para compreender…essa é a prova.

 

Um mergulhar numa certeza sentida, mas que necessita de uma explicação, que acaba por surgir, pois encerra em si uma verdade óbvia.


É pois um sentir imenso que não se deixa inundar por nenhuma hipótese que não possa ser comprovada. Respeita os princípios teóricos e experimentais, culminando num somatório indivisível e real.


Uma forte e nítida intuição que se transforma numa real constatação.


O que pode ser mais forte que a efervescência do sentir?


É, sem dúvida, uma energia que confere a confiança a avançar.

 

Se o sentires, saberás

Só o saberás, se o sentires

Intuitivamente…

 

Helena Pereira

 

 

 

 Partilhe no facebook

 

Participe deixando o seu comentário!

 

Comentários  

 
+2 #2 Aida Ferreira 27-04-2011 23:52
Acredito na intuição com todas as minhas forças! Jung era um génio do bem! ;-)
Citar
 
 
+3 #1 jana souza 19-04-2011 21:40
genial!!! :-) gracias
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

sincronicidades

 

Olha para os grandes problemas, eles disfarçam grandes oportunidades.

H. Jackson Brown

Mais de:

 

95,000 visitas

 

60,000 visitantes

 

4,000 visitas/mês

 

Registe-se agora

 

desde apenas:

 

R$23/mês 

€10/mês

  •